quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Hammurabi: Colunas no site oficial atualizadas



Os membros do HAMMURABI seguem cumprindo a risca o cronograma de atualizações das colunas do novo site da banda, confira as atualizações da última semana:

DISTORTION ADDICT: Acentuação I

“O assunto essa semana é um dos mais importantes fundamentos da música, mas com certeza não é dos mais discutidos pelos guitarristas dentro da teoria musical, a parte rítmica. O metal em si tem fama de ter rítmica muito constante, e talvez até seja verdade em comparação com alguns outros estilos. Mas também é uma atenção especial que muitos novos cds do estilo têm dado atenção para variar as músicas. De todo modo, é fato que o estilo mais pesado não aceita ou não encaixa muito facilmente com qualquer tipo de variação rítmica, mas esse é um fator fundamental que pode fazer a diferença entre um riff ser o grande riff de uma música, ou mais um riff qualquer. Assim como a interpretação dos solos ganha e muito com as variações nos tempos e acentos.

Vamos começar de uma forma bem básica, e talvez abordemos maiores complicações em futuras matérias. Esses exercícios muitas vezes são ignorados ou esquecidos pela maioria dos guitarristas logo após chegarem a um nível mediano no instrumento, essa desatenção faz com que muitas músicas de ritmicas diferentes sejam tocadas de forma reta e errada. Por isso, tanto é bom para guitarristas iniciantes aprenderem quanto para os mais experientes darem uma reciclada no estudo.”


SETUP DRUMS: Dicas e truques para deixar o som de seu Bumbo ainda mais poderoso!

“Existem alguns mitos e outras verdades sobre esse tambor, e não é a toa que muitos músicos tem uma enorme dificuldade de acertar o seu som na hora de encontrar a afinação que mais lhe agrada.

O primeiro tópico que acho fundamental na sonoridade do bumbo mais que não é levado muito a serio pela maioria dos bateristas é o furo na pele de resposta. E ai, ter ou não ter? Eis a questão… É importante que se saiba que esse pequeno detalhe influencia e muito o som que será emitido ao percutir a pele com o pirulito do pedal. Uma pele de resposta sem buraco oferece maior pressão do pirulito o que pode vir a dificultar a captação da pegada além da ressonância interna. Desta forma, quando utilizado apenas um microfone o som que chega ao público é somente o da pele microfonada. No entanto, se o buraco for igual ou maior que 7” é como se não tivesse pele de resposta, ou seja, aumenta consideravelmente o ataque do som da pele batedeira. Já um buraco de 4? a 5? ou até 2 buracos, pode ser mais interessante, haja vista que oferece certo alívio à pressão sonora do batedor do pedal, contendo um pouco a ressonância do bumbo para que deste modo a pele de resposta tenha uma participação na afinação do tambor.”


AS PERIPÉCIAS DO LELEZZY: Fumando um Jornal

Em vídeo, Wesley Ribeiro, baixista do Hammurabi mostra o que rolou em uma viagem indo para Sorocaba-SP.


Para acessar o novo site da banda e ter acesso a todo o conteúdo, acesse:


Contato para shows e merchandise: hammurabi@hammurabi.com.br

Sites Relacionados:

Fonte: Metal Media

Nenhum comentário:

Postar um comentário